sábado, 20 de fevereiro de 2010

Conto o conto.

A Menina de 100anos.


Uma pequena menina. Cujo rosto não revela o conteúdo. Tranqüila, esperta e madura. Com um mundo nos pensamentos e um novo a desvendar. Ela teve sua segunda chance. Como é possível, uma criança com 100 anos?
Influenciada pelo realismo fantástico de Gabriel García Márquez, consegui juntar todas essas mulheres em uma só. Tornando assim possível, uma senhora aos 100 anos, sem ter usado nenhum desejo de aniversário, juntar todos em um único: “voltar a alguma etapa de sua vida”.
Sem saber ao certo, qual a etapa deseja retornar, ela vai revivendo alguns momentos que passou e as mulheres que já foi. Com isso, percebe que de tudo que viveu, que os momentos que ela mais deu atenção, eram os que estavam perdidos dentro dela. Os que considerou mais banais. Nada daquilo refletia hoje em sua vida. Nem parecia fazer parte dela. Ela entendeu que deixou a vida passar, e não aproveitou os mínimos detalhes.
Então, resolve voltar à época em que tudo era simples, desejava recomeçar. Com apenas uma coisa que refletia até hoje: ela menina, e seu cão.


ps.: Introdução-explicação do contra-texto que fiz para uma cena-experimento. Baseado no texto "Mulheres" do livro "Alguns Leões Falam" de Anderson Aníbal; Nas próximas postagens, colocarei por pedaços o corpo do texto e as várias mulheres-passado-futuro dessa menina.

2 comentários:

  1. Fiquei bastante curioso... Esperando pra ver...

    ResponderExcluir
  2. É uma imensidão indescritível esses 100 anos de uma menina "cujo rosto não revela o conteúdo".

    Vou esperar pelo resto!

    ResponderExcluir